Wednesday, March 30, 2011

os jornalistas brasileiros ainda não aprenderam o respeitinho


Que selvajaria, pá.

Agora vêm para cá estes brasileiros, a achar que a comunicação social é livre de fazer perguntas. Que selvajaria, pá.

6 comments:

daniel tecelao said...

Em Portugal ninguem se pode queixar de falta de liberdade na comunicação social.
Basta ver a caça ao Sócrates,nem sempre da força mais urbana.

joão maduro said...

Ele também se põe a jeito, quando fala dum país virtual, que só existe na cabeça dele, os comentadores gozam com ele

daniel tecelao said...

Eu acho que o Sócrates tem criado muitos anti corpos pelo seu feitio e por afrontado alguns interesses.

joão maduro said...

o licenciado Pinto de Sousa só afronta alguns interesses , dos professores, das pequenas e médias empresas, dos trabalhadores médios, não afronta os interesses dos grandes banqueiros, das grandes construtoras, dos grandes financiadores do despesismo do Estado

daniel tecelao said...

O seu comentário,enferma de uma técnica manhosa,mistura planos diferentes para que a sua abordagem fique dificultada.
Sócrates não afrontou os professores,Sócrates fez aquilo que devia ter sido feito há muito tempo.
A melhoria dos resultados do ensino tambem passa pela avaliação dos professores.
E era bom ver melhor o que os governos de Sócrates fez pelas pequenas e médias empresas.
"O licenciado Sócrates" é uma boa frase para abrir um comentário enquinado.

joão maduro said...

Eu sou professor, concordo que a avaliação seja feita à semelhança das outras profissões.
nas outras profissões a pessoa é avaliada quando eventualmente sobe de patente, ora nos professores a avaliação é feita de dois em dois anos com imensa carga burocrática.
o problema é esse, os professores não estão contra a avaliação