Wednesday, December 29, 2010

Escolas com menos dinheiro a partir de Janeiro

É mais uma medida do Plano de Austeridade a conta-gotas: as escolas vão ter um corte de 5,5% no orçamento de funcionamento. Isto quer dizer que o dinheiro para consumíveis, electricidade, água e gás vai ser menos. É previsível que, antes de Março, o Governo tenha de pedir a intervenção do FMI e do Fundo Europeu de Estabilização Financeira. Os juros da dívida mantêm-se próximos dos 7% e já não há quem queira comprar dívida pública portuguesa. Os bancos estão impedidos de se financiarem no mercado inter-bancário e estão na completa dependência dos empréstimos do BCE.
O ano de 2011 vai ser de penúria para as escolas. Cortes de 20% nas ajudas de custo, de 10% nos subsídios de transporte, de 5.5% nas despesas de funcionamento e dezenas de milhares de horários a menos a partir de Setembro de 2011.
Enquanto isso, a Parque Escolar continua na senda do endividamento, construindo escolas de luxo com custos de manutenção muito acima daquilo que o país pode suportar. Quem vai pagar a factura do despesismo? Os professores no activo com novos cortes nos salários.
Não se vê o governo a reduzir as despesas na propaganda, no centralismo,nos ministérios , Fundações e Institutos Públicos, no TGV, no novo aeroporto, nas três previstas auto estradas Lisboa Porto , no computador Magalhães e nos ordenados dos "boys" administradores das empresas públicas.

Tuesday, December 28, 2010

Empresas públicas ganham milhões com mercados e não dão nada ao Estado

Tribunal conclui que o governo tem argumentos para demitir gestores públicos de CP, Metro e Refer

O Tribunal de Contas (TC) identificou várias "situações de incumprimento" na gestão financeira das empresas públicas ao nível do exigido pelo Regime da Tesouraria do Estado (RTE) - que determina que os investimentos financeiros do sector empresarial do Estado devem estar no Tesouro. A situação é especialmente crítica no sector dos transportes e das infra-estruturas.

Nesse sector, apenas 5,9% das aplicações financeiras estão em contas do Tesouro, no Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), ao contrário do que o RTE obriga. Este tipo de incumprimento, lembra o TC, "passou a integrar as situações susceptíveis de demissão dos gestores públicos" este ano.

CP, Metro de Lisboa e Rede Ferroviária Nacional (Refer) são as empresas mais visadas pelo TC, sobretudo a CP. "As situações de incumprimento neste sector são relevantes porque resultam da não implementação dos procedimentos operacionais legalmente exigidos [...] em resultado da posição assumida pela gestão, em especial da CP, de não pretender cumprir a determinação legal relativa à unidade da tesouraria do Estado", diz o TC.

A regra Segundo foi estipulado desde 2005, através das diferentes leis do Orçamento, as empresas públicas estão sujeitas à unidade da tesouraria do Estado, pelo que devem ter as suas aplicações em contas no Tesouro. Conforme explica o TC, "a centralização dos fundos na tesouraria do Estado tem como finalidade aumentar a eficiência da administração financeira do Estado e gerar ganhos financeiros, ao possibilitar o financiamento do Estado com fundos de serviços públicos que, de outro modo, estariam aplicados no sistema bancário". Este dinheiro podia, por exemplo, comprar dívida pública.

Comentário: E são estes gestores que, além de receberem chorudos vencimentos, ainda recebem centenas de milhares de euros em "prémios"... apesar dos prejuízos apresentados pelas suas empresas...

Wednesday, December 22, 2010

A vergonha do BPN

O estado nacionalizou o BPN há um ano e a coisa resumia-se a pouco mais de mil milhões de euros, incorporando o BPN na CGD e tentando tapar o sol com a peneira.Muitos dos "economistas" e "filósofos" do regime por aqui andaram a justificar a coisa. Era um risco sistémico, o estado só estava a prestar um aval, não havia perdas para os contribuintes... havia até um dos leitores/comentadores que dizia que se calhar com isto o estado até ia ganhar dinheiro, e que a CGD ao incorporar o BPN tinha assumido as dívidas mas também ficava com os activos. Ou seja, poderia vir a ser um bom negócio.Enfim... foi o que se viu. A factura que era de 1.3 mil milhões de euros em Janeiro de 2009, está já em 5 MIL MILHÕES DE EUROS: ou seja, os "ganhos" foram de -3.7 mil milhões de euros, e o banco não vale três reis de mel coado (ninguém lhe pegou na privatização que foi tentada pelo governo). O caso BPN é, como era fácil de ver, um CASO DE POLÍCIA que nada tem a ver com a crise financeira internacional, mas sim com roubo e actividade fraudulenta: um crime nojento.Para terem uma ideia do descalabro, 5 mil milhões de euros é o que o nosso PM José Pinto de Sousa quer injectar na economia nacional para fazer com que ela recupere da "maior crise dos últimos 80 anos", ou a "maior crise das nossas vidas", como costuma dizer nos seus discursos cheios de VAZIO.Sinceramente, não podem ser os contribuintes a pagar. E o que se espera do governo é que identifique estes casos e actue na defesa dos interesses de todos, e não só de alguns. E seja competente. Fazer o que é óbvio qualquer um é capaz. Colocar os contribuintes a pagar as fraudes cometidas por por estes senhores é INACEITÁVEL.

Sunday, December 19, 2010

Dez Estratégias

Há algum tempo que círcula pela internet e pelas caixas de correio electrónio um texto intitulado As 10 Estratégias de Manipulação Mediática, atribuído a Noam Chomsky. Apesar de não ter podido confirmar a autoria, arrisco reproduzi-lo , pois, ainda que não tenha sido escrito pelo línguista americano, parece-me ser uma análise interessate da realidade que nos cerca.

1- A ESTRATÉGIA DA DISTRACÇÃO.
O elemento primordial do controle social é a estratégia da distracção que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e económicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distracções e de informações insignificantes. A estratégia da distracção é igualmente indispensável para impedir o povo de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área das ciências, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. "Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à quinta como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranquilas')".
2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.
Este método também é chamado "problema-reacção-solução". Cria-se um problema, uma "situação" prevista para causar certa reacção no público, a fim de que este tenha a percepção que participou nas medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público exija novas leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou ainda: criar uma crise económica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.
3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.
Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradualmente, a conta-gotas, durante anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconómicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários baixíssimos, tantas mudanças que teriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.
4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.
Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo "dolorosa e necessária", obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é aplicado imediatamente. Segundo, porque o público - a massa - tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que "tudo irá melhorar amanhã" e que o sacrifício exigido poderá vir a ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se à ideia da mudança e de aceitá-la com resignação quando chegar o momento.
5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO SE DE CRIANÇAS SE TRATASSE
A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entoação particularmente infantis, muitas vezes próximos da debilidade mental, como se cada espectador fosse uma criança de idade reduzida ou um deficiente mental. Quanto mais se pretende enganar ao espectador, mais se tende a adoptar um tom infantilizante. Porquê? "Se você se dirigir a uma pessoa como se ela tivesse 12 anos ou menos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, a dar uma resposta ou reacção também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver "Armas silenciosas para guerras tranquilas")".
6- UTILIZAR MUITO MAIS O ASPECTO EMOCIONAL DO QUE A REFLEXÃO.
Fazer uso do discurso emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e pôr fim ao sentido crítico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registo emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para incutir ideias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos...
7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.
Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para o seu controle e escravidão. "A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores e as classes sociais superiores seja e permaneça impossível de eliminar (ver 'Armas silenciosas para guerras tranquilas')".
8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.
Promover no público a ideia de que é moda o facto de se ser estúpido, vulgar e inculto...
9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.
Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência da sua inteligência, de suas capacidades, ou do seu esforço. Assim, ao invés de revoltar-se contra o sistema económico, o indivíduo autocritica-se e culpabiliza-se, o que gera um estado depressivo, do qual um dos seus efeitosmais comuns, é a inibição da acção. E, sem acção, não há revolução!
10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.
No decorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado um crescente afastamento entre os conhecimentos do público e os possuídos e utilizados pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o "sistema" tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos sobre si próprios.

Wednesday, December 15, 2010

Qual a amostra para as provas do PISA 2009 ?

Circulam informações de que terá havido manipulação da amostra. Para que não restem dúvidas, convinha que o GAVE libertasse a informação sobre a constituição da amostra e os procedimentos usados na administração dos testes.
O GAVE perdeu credibilidade com a crescente politização dos resultados dos exames nacionais durante o consulado de Maria de Lurdes Rodrigues. É conhecida a polémica que envolveu a SPM e o GAVE em torno dos resultados nos exames de Matemática do 9º ano.
As justificações do GAVE não convencem.
Enquanto o ME não libertar a informação sobre todo o processo que envolveu as provas do PISA/2009, as dúvidas sobre a manipulação da amostra permanecem. Quem não deve não teme. Até porque circulam emails com denúncias concretas à OCDE sobre uma putativa falta de seriedade no processo. Se o ME está convencido da lisura e seriedade com que o processo se concretizou por que razão mantém o secretismo sobre a constituição da amostra e os procedimentos na administração dos testes?
A desconfiança face às agências do Estado tuteladas há 13 anos pelos socialistas justifica cada vez mais que o muito sensível dossié dos exames nacionais seja entregue a uma agência independente do Governo. É o que acontece em várias países europeus, entre os quais a Inglaterra.
O GAVE deixou-se instrumentalizar a propósito dos exames de matemática e de português e agora nada do que faça fica isento de suspeita.
As respostas que a ministra da educação deu hoje à deputada do BE, Ana Drago, não convencem. A ministra disse que não tinha informações sobre a amostra seleccionada para integrar o PISA/2009.
A única forma de dissipar as dúvidas é através da divulgação das listas de alunos que as 212 escolas seleccionadas enviaram para a OCDE. Como foram elaboradas as listas? Com que critérios? Houve alunos que ficaram de fora porque tinham notas medíocres? Os alunos seleccionados foram objecto de treino específico para resolverem as perguntas dos testes do PISA? É assim tão difícil fazer isso? O GAVE não tem essa informação?
E se o GAVE resiste a fornecer a informação, há sempre a possibilidade de se criar uma comissão parlamentar de inquérito que obrigue o GAVE a fazê-lo.
Esta questão é demasiado importante para que subsistam dúvidas sobre a seriedade do processo.

Tuesday, December 14, 2010

Eles abandonam o barco


Segundo o site AngoNotícias, Armando Vara é o novo PCA da Camargo Correia África, tendo assim a seu cargo as actividades da empresa brasileira em Moçambique e Angola. Irá fazer boa equipa com Guebuza (ver aqui, aqui e aqui) e dos Santos.
Armando Vara, beneficiado por uma carreira «fulgurante», desde o seu início ao balcão da CGD em Vinhais, sujeito a muitas polémicas, em que se falou do compadrio com António José Morais, as obras no monte que comprou em Montemor o Novo, a fundação para a prevenção rodoviária, a licenciatura, a passagem da administração da CGD para o BCP Milenium, a Operação Face Oculta e os robalos do Godinho, aceitou agora um presente estrangeiro e abandona o barco.Os «boys» nunca ficam a perder, pois a coesão entre os elementos do grupo faz-se sentir sempre que seja necessário evitar que se «zanguem as comadres para não se saberem as verdades», velho ditado popular que mostra conhecimentos de sociologia. Tudo se encaixa nesta complexa malha de que enferma a sociedade moderna, não só nacional como também internacional.Quanto ao abandono do barco, não é o primeiro e não será, provavelmente, o último, sendo de recordar o ex-administrador do BPN, Dias Loureiro, agora bem instalado em Cabo Verde numa empresa que estava ligada ao BPN, Morais Sarmento que foi acolhido pela empresa espanhola Iberdrola e Agostinho Branquinho que aceitou o presente oferecido pela Ongoing, e isto para não falar dos que foram ocupar brilhantes cargos internacionais, por ordem cronológica, António Guterres, Manuel Durão Barroso e Jorge Sampaio.Daqui, se conclui que é muito sensato e oportuno o conselho dado por Cavaco Silva aos jovens para se interessarem pela política. Está aí uma carreira de futuro promissor, pois a dedicação ao líder do momento, a conivência, a cumplicidade e a amabilidade para empresas e donos do capital em geral, rende sempre bons dividendos e uma imunidade e impunidade que a experiência diz ser incontornável. Isto aplica-se mesmo internamente, pois é expressiva a lista dos «tachos» de ex-políticos, que circula com frequência pelos e-mails.Entretanto a AOFA informa, por comunicado de 27 de Outubro de 2010, que «jovens que sobrevivem no Afeganistão e noutras missões poderão não resistir ao terror em Portugal. O Orçamento de Estado atira para o desemprego 3.000 jovens militares em regime de contrato». Realmente a carreira política é muito mais compensadora e sem os riscos de vida que aqueles militares correm.

Monday, December 13, 2010

Com gente desta na Admnistração, o que me admira é que o Millennium ainda não tenha ido à falência

É tudo boa gente, desde o Opus Dei Jardim Gonçalves ao jovem reformado Paulo Teixeira Pinto, passando pelo apreciador de robalos Armando Vara e terminando no aspirante a espião e traidor Carlos dos Santos Ferreira.E como cada um que entra na Administração sai de lá milionário, o que me espanta é como é que o Banco ainda subsiste. Espanta? Se calhar não. Afinal, o poder nunca sabe de nada e estará sempre pronto a ajudar em caso de necessidade.

Wednesday, December 08, 2010

Resultados PISA-2009 em literacias de Leitura, Ciências e Matemática

Os resultados mostram uma evolução positiva nas 3 áreas entre 2003, 2006 e 2009.
Literacia Científica: 2003: 468 pontos; 2006: 474 pontos; 2009: 493 pontos
Literacia de Leitura: 2006: 472 pontos; 2009: 489 pontos
Literacia em Matemática: 2003: 466; 2006: 466; 2009: 487 pontos. Portugal foi o 17º país em 33 países. Houve uma evolução positiva entre 2006 e 2009.
Portugal melhorou nas 3 áreas, aproximando-se da média da OCDE.A OCDE atribui os resultados a melhorias nas refeições escolares, mais apoios sociais, mais banda larga nas escolas e formação contínua de professores de Matemática, Ciências e Português.Eu acrescentaria mais tempo de trabalho dos professores em casa e na escola. Não tenho dúvidas de que os professores estão a trabalhar bem mais horas por semana do que há meia dúzia de anos atrás. Em muitos casos, os docentes excedem em muito as 40 horas por semana. Como português e professor, só posso estar satisfeito com os resultados.
Para saber mais
O Relatório PISA/2009

Tuesday, November 30, 2010

PPP for the boys

Governo cria nova empresa pública para gerir PPP e grandes obras
Bastante mais útil seria facultar um resumo plurinanual dos encargos já assumido com as PPP. Mas isso não permitiria ao governo nomear mais três boys administradores

Desigualdades salariais

Não se comprende a passividade com que encaramos o anúncio dos vencimentos dos CEO das empresas do PSI20. No entanto, considero verdadeiramente escandalosos os vencimentos publicados dos gestores das empresas do PSI20:
a) 3,1 milhões de euros para o CEO da EDP (703 mil euros de vencimento fixo e o restante de bónus anual);
b) 2,5 milhões de euros para o CEO da PT (1 milhão de bónus);
c) 1 milhão de euros para o CEO do BES;
d) 727 mil euros para o CEO do BPI;
e) etc., etc., etc.
Segundo o Jornal de Negócios, a relação entre os vencimentos médios dos administradores e os salários médios dos trabalhadores em cada empresa do PSI20 é a seguinte:
Jerónimo Martins - 60,9 vezes
PT - 51,8
Sonae - 42,5
Zon - 28
Mota-Engil - 27,6
EDP - 27,1
Semapa - 20,9
Brisa - 18,8
Portucel - 16,7
Galp Energia - 16,1
Banco Espírito Santo - 14,5
BPI - 13
BCP - 11,2
Sonaecom - 8,1
REN - 6,7
Sonae Indústria - 6,4
Isto é inaceitável. Um escândalo. A demonstração de que somos um país sub-desenvolvido, sem princípios de solidariedade e onde não existe respeito por quem trabalha.Eu considero que num país JUSTO, SOLIDÁRIO e EVOLUÍDO, a relação máxima entre os salários médios dos administradores e os salários médios dos trabalhadores não pode ser superior a 10. E isso deve aplicar-se a todo o país. Ou seja, só as empresas Sonae Indústria, REN e Sonaecom do PSI20 passam neste critério.Lamento mas não consigo perceber como é que numa organização o sucesso pode ser somente de meia dúzia. O sucesso é de todos, desde o administrador de topo ao funcionário da limpeza. E todos têm de ganhar com o sucesso da organização, pois todos contribuem, dentro das suas funções, para os resultados obtidos. É uma questão de princípio.Escandalosos e incompreensíveis estes vencimentos.É necessário poder manter os melhores em Portugal. Mas não a qualquer preço, muito menos se para isso tivermos de ceder nos princípios e no dever de zelar por um desenvolvimento equilibrado e sustentável de Portugal.De uma vez por todas: os vencimentos devem ser atribuídos pelo mérito, estar ligados aos resultados da organização e não deve existir uma relação superior a 10 entre a média dos salários dos administradores.Levantar o país significa dar alento aos portugueses, com exemplos e com uma elite que seja uma referência e uma boa influência.

Wednesday, November 24, 2010

As excepções aos cortes salariais

Aprovada ontem para as empresas públicas.
Uns são filhos outros são enteados.
Mais uma medida polémica, tomada por um governo sem vergonha.

Saturday, November 20, 2010

Vergonha de Portugal

Por isso, neste final de 2010, o nosso maior problema não é o económico, é o moral. Sócrates, o homem que transformou a mentira em inverdade, conduziu-nos a esse pântano que a todos parece querer sugar para que assim fiquemos todos irmãos

Num lúcido e brilhante texto, Helena Matos diz tudo aquilo que bate e rebate, dia após dia, na consciência dos portugueses: escolhemos a maior vergonha que havia no país para nos governar.Os portugueses, na sua maioria não são como esse senhor.E eu, da parte que me toca, teria uma vergonha imensa de ter um irmão assim.

Thursday, November 18, 2010

19 de Novembro, dia mundial do xadrez

“19 de Novembro é o Dia Mundial do Xadrez, comemorado nesta data devido ao nascimento de José Raul Capablanca, único sul-americano Campeão do Mundo. A origem do xadrez é um dos maiores mistérios do mundo. Tanto é atribuída ao lendário rei Salomão do Velho Testamento, quanto aos sábios mandarins da China, contemporâneos do filósofo Confúcio.Mas há quem atribua a origem do xadrez aos egípcios, talvez porque um dos documentos mais antigos sobre o xadrez é a pintura mural da câmara mortuária de Mera, em Sakarah (nos arredores de Gizé, no Egipto). O Xadrez é um jogo de tabuleiro complexo, de estratégia e táctica, de natureza recreativa e competitiva, para dois jogadores. Também é conhecido como Xadrez Ocidental ou Xadrez Internacional para distingui-lo dos seus antecessores e de outras variantes da actualidade. A forma actual do jogo surgiu no Sudoeste da Europa, na segunda metade do século XV, resultado da evolução das suas antigas origens persa e indiana. Praticado por milhões de pessoas em torneios (amadores e profissionais),clubes, escolas, pela Internet, por correspondência e informalmente, o xadrez tornou-se num dos jogos mais populares do mundo. Foi reconhecido como desporto pelo Comité Olímpico Internacional em 2001.”

Thursday, November 11, 2010

Juros da dívida pública ultrapassam 7% e negoceiam em máximos históricos

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos estão hoje a negociar acima dos sete por cento no mercado secundário, o máximo histórico, depois de o tesouro português ter pago a taxa mais alta do ano para colocar dívida pública.
Pelas 14:41, os juros das Obrigações do Tesouro a dez anos chegaram aos 7,019 por cento no mercado secundário, acima do anterior recorde de 6,776 por cento registado a 08 de novembro de 2010.
Isto acontece no dia em que Portugal colocou 1.242 milhões de euros no mercado em dívida de longo prazo, na última emissão de 2010, mas à taxa de juro mais alta deste ano.
-Os juros ultrapassam assim o limite de 7 por cento que, em declarações ao Expresso em Outubro, o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, disse que Portugal “entra num terreno” em que "essa alternativa [recorrer ao FMI] começa a colocar-se".
-Já hoje, o responsável pela pasta das Finanças não quis voltar a falar desta barreira mas afirmou que não ignora “as consequências e dificuldades trazidas para o país pela manutenção de taxas de juro tão elevadas”.

Comentário : Porreiro, pá! Assim é que é trabalhar!... Abençoado Pinto de Sousa que estás levando Portugal à ruína!... Sim, eu sei. Para ti, a culpa é dos mercados internacionais e da oposição!...

Tuesday, November 02, 2010

E você, confiava em Pinto de Sousa?

Uma sondagem realizada esta semana pela Aximage revela que 61% dos portugueses não confiava a chave de casa a José S. Pinto de Sousa. É compreensível. Só me espanta como é que há ainda 39% de portugueses que confiavam a chave de casa a um primeiro-ministro que é um mentiroso compulsivo e que conduziu o país à ruína económica e financeira. Para não falar dos inúmeros casos mal esclarecidos em que o nome dele aparece .

Monday, October 25, 2010

Da origem do desastre

A tragédia que se abateu sobre o poder democrático das nossas escolas vai ter nos tempos mais próximos um novo pico. O ISCTE produziu grande parte da engenharia social e financeira que cilindrou a democracia nas escolas. Quase todos os políticos escolhidos para o exercício, têm a mesma proveniência e são especializados em sociologia, trabalho e empresas. Lançaram, de forma certificada, o caos no sistema. Agora que estão quase vencidos pela realidade e sem qualquer veleidade de emancipação, caiu-lhes a máscara. Em desespero, arquitectam um ataque para fustigar os seus inimigos de estimação: os professores. Acreditam que o momento é, de novo, propício.

Gente que não pôs os pés numa escola básica ou secundária tomou as rédeas do sistema e anarquizou-o numa lógica que consideraram anti-elitista. A sério: houve por ali qualquer coisa como isto. Viveram obcecados com os "privilégios" dos professores. Tudo o que não fosse 45 horas semanais de aulas era elitismo.

Agora querem cavalgar a onda do desvario financeiro e descarregar ódio. Resta-lhes pouco tempo de poder. Um dos mentores ainda no activo "dirige" a Direcção-Geral da Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC). Ouvir este áudio ou ler esta entrevista ajuda a perceber.

A entrevista versa o programa novas oportunidades, onde o responsável afirma não saber dos custos nem sequer dos da máquina de propaganda montada à sua volta. Manter-se-á sem cortes. Há duas frases que são emblemáticas. A comparação com o ensino regular é de bradar e dá uma boa ideia da sustentação do desastre.

"Sabemos que alunos de determinadas vias de ensino aprendem a fazer exames e a tirar notas, mas não sabemos se sabem alguma coisa quando acabam. Isso não acontece com os nosso alunos porque são obrigados a demonstrar competências".

"A democratização de acesso implica verdadeira abertura social e de mobilidade, o que cria pressão junto de determinadas elites que não deixaram de reagir. Há uma democratização mal tolerada do acesso aos diplomas escolares".

Saturday, October 23, 2010

Mais uma campanha negra- 3

Enquanto falava do Estado voraz e dos investimentos desastrosos que o governo socialista faz com o dinheiro que nos subtrai, perante a enormidade e a gravidade do esbanjamento, Gomes Ferreira não conteve um estremecimento: «Até parece que estamos a fazer oposição. Não estamos.»
Pois, não, estavam só a contar o que se passa, ou seja, o contrário do que o primeiro-ministro e seus socialistas sempre disseram, ou seja, a verdade.
Enormidade e gravidade que levaram Gomes Ferreira a clamar pelo equivalente da Polícia para estes casos: «Uma megauditoria ao Estado», para saber o que se gastou, como, onde e quanto devemos afinal.
Como aconteceu com o jornal das sextas da TVI, existe uma forte probabilidade so sr. Sousa usar as suas influências e mandar encerrar o noticiário das sextas da SIC.O sr. Sousa não gosta de ouvir as verdades.

Mais uma campanha negra- 2

Mais revelou o jornal de 6.ª que o aeroporto de Beja está pronto. Só não funciona, nem se prevê quando venha a funcionar. A EDAB, empresa do aeroporto de Beja, gastou nas obras 33 milhões de euros (estão por pagar) e registou este ano um prejuízo de 8 milhões de euros. Para o aeroporto que não funciona, nem se sabe quando funcionará ou para quê, estamos, entretanto, a pagar a presença de uma equipa da ANA, empresa pública dos aeroportos, de 11 funcionários da EDAB, de seguranças, limpeza, manutenção.
José Gomes Ferreira, editor de Economia da Sic, foi convidado a comentar. Comentou: «Para quê insistir que é preciso investir para dinamizar a economia, e depois, os exemplos são estes? E há muitos mais.»
Mais noticiou o próprio Gomes Ferreira. Que vamos «passar pela vergonha, e a palavra é vergonha» de pedir ao Banco Europeu de Investimento 1500 milhões de euros para que projectos industriais, agrícolas, da área de serviços, com direito a dinheiros comunitários ao abrigo do QREN, possam ter a contrapartida nacional, e os fundos da UE não tenham que ficar por usar. E retomando o tema dos investimentos do tipo do de Beja e do TGV (dos investimentos à Sócrates & Mendonça & Coelho & Cravinho, digo eu):«E o dinheiro que havia, foi para isto.»

Mais uma campanha negra- 1

O Jornal de 6.ª da Sic, às 20 horas, parecia um verdadeiro Jornal de 6.ª, cheio daquelas notícias que Pinto de Sousa e seus rapazes já não conseguem calar.
Que lembrou e noticiou o Jornal de 6.ª?
Que em 2011 os gabinetes de Pinto deSousa e dos seus 16 ministros vão gastar 62, 4 milhões de euros. Não os ministérios, os gabinetes.
Que em 2010 as Empresas Públicas se endividaram em mais 790 milhões de euros.
Que há 1182 Empresas Públicas.
Que, entre elas, a Refer deve 3 mil milhões de euros (e que a sua dívida cresceu 9,1% em 2009), mais que a CP, que deve mais de 3 mil milhões de euros. E que, entretanto, a linha do Norte está por modernizar, a linha do Oeste está ao abandono, e o governo do sr. Sousa continua a insistir no TGV.
Que há 356 institutos, 639 fundações e 343 empresas municipais a gastar dinheiro dos contribuintes.
Que o Estado consome mais de 50% da riqueza produzida pelo país.

Friday, October 22, 2010

Bons Gestores precisam- se


Transcrição de texto recebido por e-mail dum amigo

A fuga das galinhas
Por Joana Amaral Dias
em Abril de 2010
Um gestor vale mais do que quem salva vidas e cria (vários tipos) de riqueza como um médico ou um cientista?
Qual é o dom especial que possuem para que ganhem muito mais que todos os outros? Não se sabe. Mas essa ignorância não altera os rendimentos. Mesmo que os resultados empresariais derivem de uma extensa cadeia. Mesmo que todas as empresas devam ter um papel social. Pois é.
Os nossos trabalhadores são dos mais mal pagos da Europa, mas os gestores são dos mais bem pagos. Um gestor alemão recebe dez vezes mais que o trabalhador com o salário mais baixo na sua empresa. O britânico 14. O português 32.
Mas, segundo um estudo da Mckinsey, Portugal tem dos piores gestores. Logo, quando se fala em reduzir direitos e salários, a quem nos devemos referir? Lógico? Não. Dizem que os bons gestores escasseiam e é necessário recompensá-los. Senão, fogem do país. Ok. Então, é simples. Se são assim tão poucos, ide. Não serão significativos na crescente percentagem de fuga dos cérebros que estavam desempregados/explorados. Depois, contratem-se gestores alemães ou ingleses. Por lá, não rareia tanto a qualidade. Estão habituados a discutir não só ordenados mínimos como ordenados máximos. E sempre são mais baratinhos.
Joana Amaral Dias, Docente universitária

Wednesday, October 20, 2010

Portugal na liderança de mais um ranking

Teixeira dos Santos foi considerado o pior ministro das Finanças pelo Jornal Financial Times, que avaliou o desempenho dos responsáveis das Finanças de 19 países da União Europeia. O melhor ministro foi o da Finlândia.
Mais um título para o mestre das trapalhadas económicas- Teixeira dos Santos

Demência

O mesmo governo que quer diminuir salários, aumentar outra vez os impostos, reduzir deduções fiscais; que fechou maternidades, hospitais, escolas, que aumentou taxas moderadoras, que cavou o maior défice, a maior dívida pública e a maior taxa de desemprego da história da democracia; esse governo que nos acena com o apocalipse caso não passe o orçamento, que exige - atrevimento dos atrevimentos - o sacrifício de todos, é o mesmo que, no Orçamento de Estado pra 2011, prevê gastar mais 32,94% em publicidade aos seus feitos, 20,08% em vestuário e artigos pessoais para a administração, 10,59% em artigos honoríficos e de decoração (sic), 20,41% em combustíveis e lubrificantes, etc, etc, etc.
Em tempos, pensei que fosse um caso de incompetência pura e simples. Depois, achei que era um caso de polícia. Hoje, é óbvio que é um caso clínico.

Tuesday, October 19, 2010

Governo vai gastar mais dinheiro em publicidade ( propaganda )

O governo está muito preocupado com a sensibilização da população para o Census 2011:
Os gastos com publicidade vão aumentar 30 por cento e os gastos com Seminários e Exposições vão subir 46 por cento. No total, o Governo prevê gastar, no próximo ano, 23 milhões de euros com este tipo de despesas.O Ministério com mais gastos, desta natureza, é o da Presidência do Conselho de Ministros. O Orçamento do Gabinete de Pedro Silva Pereira, que inclui também o gabinete do primeiro-ministro, aumenta 500 por cento, ou seja, vai ter 3,5 milhões de euros para gastar só em publicidade.
Mas não só. O nosso" competente" Teixeira dos Santos prepara-se também para esclarecer os portugueses com um reforço de 3 milhões de euros das suas verbas para Seminários e Exposições.

Vícios e percepções

Banco é Caixa.
Xerox é fotocopiadora.

Auto-Estrada...
Auto-Estrada é Ascendi.

Afinal o dinheiro cortado no Estado Social é aplicado na construção de auto-estradas.
Dinheiro para os bolsos de Jorge Coelho e da Mota Engil.
Realmente temos "grandes" admnistradores do erário público.

Sunday, October 17, 2010

Crise em Portugal

( recebido por correio electrónico)

Orçamento do Estado

Todos os nossos governantes falam em cortes das despesas, mas não dizem quais, e aumentos de impostos, a pagar pela malta. Não ouvi foi nenhum governante falar em:
Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizá-los como no estrangeiro.
Reforma das mordomias na Assembleia da República como, almoços com digestivos a € 1,50. Acabar com os milhares de Institutos que não servem para nada e tem funcionários e administradores com 2º ou 3º emprego.
Acabar com as empresas Municipais, com Administradores de milhares de euros mês e que não servem para nada.
Redução drástica das Câmaras Municipais, Assembleias, etc.
Redução drástica das Juntas de Freguesia.
Acabar com o pagamento de € 200 por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e € 75 nas Juntas de Freguesia.
Acabar com o Financiamento aos Partidos.
Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc que se deslocam em uso particular pelo País. No estrangeiro isto não acontece.
Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia.
Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros.
Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado.
Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e, respectivas estadias em Lisboa em hotéis cinco estrelas.
Controlar o pessoal da Função Pública que nunca está no local de trabalho e que faz trabalhos nesse tempo, para o Estado.
Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos.
Acabar com as várias reformas por pessoa, do pessoal do Estado.
Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP.
E por aí fora. Recuperamos depressa a nossa posição. Já estamos cansados, fica assim.

Saturday, October 16, 2010

Governo aprova eliminação da àrea de Projecto nos 2º e 3º CEB

Finalmente, o Governo aprova uma medida na área de educação que eu aplaudo. Nunca entendi a utilidade desta disciplina em alunos mais novos, e o tempo que se perde. Lembro- me do tempo em que os alunos do ensino básico faziam trabalhos de maior qualidade, com menos tempo na chamada " Área Escola".
Agora, só falta fazer o mesmo com o Estudo Acompanhado (deixando de ser obrigatório) e com a Formação Cívica (supostamente a Educação deve vir de casa ,das famílias e a escola deve dar a Formação).
Estas disciplinas foram introduzidas pela secretária de estado- Ana Benavente, no 1º governo de António Gueterres. Esta senhora, acérrima defensora das ideias de Jean Jacques Rousseau introduziu o chamado " Eduquês" na Escola Pública e foi autora de um Regulamento de processos Disciplinares ( em 1998 ) que minou a autoridade dos professores e provocou um aumento de indisciplina na Escola Pública.

Friday, October 15, 2010

Palavras sem " palavra "



Sem comentários ...

Administradores aumentados 65 %

-Administradores aumentados 65%-

Com o País a braços com uma crise, o Governo deu aumentos milionários às administrações de três empresas estatais, todas elas com prejuízos. Os presidentes e os vogais da Carris e da CP viram os respectivos vencimentos aumentados em mais de 50%, enquanto no porto de Lisboa as actualizações rondaram os 30%. A situação foi denunciada ontem por Marques Mendes, ex-líder do PSD.
José Manuel Rodrigues, presidente da Carris, foi quem teve o maior aumento salarial, 65%, passando a receber 6923,26 euros. A mesma percentagem de subida tiveram os vogais da empresa de transportes públicos que ficaram a auferir 6028,52 euros. Em 2008, a Carris apresentou um prejuízo de 17 milhões de euros e em 2009 esse montante ascendeu aos 41 milhões de euros.-Na CP, os prejuízos ascenderam em 2008 aos 190 milhões de euros, mas isso não impediu a actualização do vencimento de José Benoliel em 52%, para 7225,60 euros. Os vogais da administração viram os seus salários aumentados em quase 60% para 6719,81 euros. A actualização ocorreu em Julho de 2009, tendo, no final desse ano, a CP apresentado prejuízos de 217 milhões de euros.
Na Administração do Porto de Lisboa, os aumentos foram menores, mas igualmente milionários. Natércia Cabral, a presidente, passou a ganhar 6357,48 euros e os vogais 5438,52 euros, uma subida de 34% e de 29%, respectivamente.-Para o antigo líder do PSD, que falava no seu comentário semanal na TVI24, o contraste destes aumentos com o ano de crise que o País atravessava – e ainda atravessa – "é escandaloso". Aumentos que em muito contrastam com a redução de 10% que estes salários sofrerão no próximo ano de acordo com a proposta do Governo para a Administração Pública.

-Comentário: Afinal, onde está a crise? Para estes administradores não há crise... Então a tutela (Governo) autoriza estes aumentos escandalosos?... Para mais, em empresas que só dão prejuízos...

Thursday, October 14, 2010

Wednesday, October 13, 2010

Pena é que não dê o exemplo


"A cidadania tem de ser igual para todos"
Jorge Sampaio

Na 2ª parte do último "Prós e Contras", Jorge Sampaio indignou-se contra as reformas obtidas por indivíduos com pouco tempo de prática retributiva. Mas, de imediato,corrigiu e disse que essa indignação não se aplicava aos DIREITOS ADQUIRIDOS mas sim para o futuro!! São bonitas as palavras sem dúvida e concordo com elas, evidentemente. Pena é que surjam estas indignações tipo "lágrimas de crocodilo" de quem, como se sabe, "fala de barriga cheia".
É preciso ter verdadeiramente "muita lata" para Sampaio "falar de cátedra" deste assunto!
O momento - chave é o minuto 55 da 2ª parte! Confira tudo aqui.
Os pollíticos devem ser honestos, responsáveis e devem dar o exemplo.

Friday, October 08, 2010

A Formiga e a Trapalhada


No dia em que o Banco de Portugal confirmou o resultado das políticas socialistas de Pinto de Sousa/Teixeira Santos (a recessão em 2011 e o empobrecimento por muitos mais anos) o FMI previu uma taxa de crescimento de 3,3% para a Alemanha da senhora Merkel.
Lembram-se da senhora Merkel? É aquela senhora que, em 2009, quando os socialistas clamavam por mais dívida porque «o Estado é o motor da economia», dizia que não vislumbrava como é que uma crise de excesso de crédito e de endividamento se poderia resolver com mais concessão de crédito e mais endividamento.
É aquela senhora que - quando os socialistas recomendavam como solução para a crise desbaratar fundos em TGVs «geradores de emprego», auto-estradas «sem custos», pontes «praticamente pagas» e aeroportos que «não exigem investimento» -, era aquela senhora que propunha frugalidade e poupança.
É, por fim, aquela senhora que tanto irrita os trapalhões e os irresponsáveis, por sugerir a quem o seja que pague as facturas vencidas.
É aquela senhora, curiosamente, que numa reunião do PPE disse a Passos Coelho que mais vale chumbar o orçamento que ter um orçamento mau.
Os eleitores - se fossem informados e se informassem - poderiam escolher políticas sérias como as de Merkel, ou ainda outra vez as que escolheram. Entretanto, podem apreciar os frutos de uma e outra política: em Portugal cortam-se salários e empobrece-se; na Alemanha, enriquece-se 3,3% ao ano, e os aumentos dos trabalhadores ultrapassarão os 3,5% (nem de propósito, este número... Não é, senhores funcionários públicos portugueses que ganhavam 1500 Euros)

Reduzidos



Números dos cortes nos salários dos professores.

Thursday, October 07, 2010

Diferenças abismais



É assim que deve ser gasto o dinheiro que é de todos (público). Um senhor que é deputado em Portugal disse estas coisas:



E ainda fez propostas destas. A diferença é abismal e explica bem muita coisa.

Wednesday, October 06, 2010

5 de Outubro- Dia Mundial do Professor

Apesar da comunicação oficial do regime só falar no centenário da implementação da República, também se comemora neste dia, o Dia Mundial do Professor e o aniversário do tratado de Zamora ( 1143 ). O tema da República é muito empolado pela comunicação social e efectivamente é uma questão menor e de pormenor ( temos países republicanos com bom nível de vida como a Suiça e a Alemanha e temos monarquias constitucionais e parlamentares de países do Norte da Europa igualmente com bom nível de vida , como também temos Repúblicas com atraso e também algumas Monarquias com atraso).
O problema não está aqui, mas no resto, na melhor qualidade de políticos e mais responsáveis , com sentido de Estado , melhor organização,melhor gestão, menos corrupção e menos chico- espertismo.

Monday, October 04, 2010

Vídeos sobre Ensino ( em Português )


David Azevedo, editor do Ensino Básico, seguindo o exemplo da Khan Academy, criou um canal no You Tube para colocar os vídeos sobre Matemática para o Ensino Básico.
David Azevedo obteve autorização do editor do website Khan Academy para dobrar e publicar os vídeos com exercícios de Matemática.
A Khan Academy foi criada recentemente por Salman Khan, um corretor da bolsa com 34 anos, com o objectivo de colocar online vídeos sobre Matemática, Ciências e Finanças.
A Khan Academy tem milhares de visitas por dia e possui já um acervo de mais de 1800 vídeos.
O David Azevedo tenciona publicar dois a três vídeos por dia. Estejam, por isso, atentos ao canal do You Tube TV Ensino. É serviço público para professores, pais e alunos.

De pé, ó vítimas da fome

Manuel António Pina- JN

-O deputado do PS Ricardo Gonçalves quer que a cantina da AR
abra "à hora de jantar" para acudir aos deputados, que "são de
longe os mais atingidos na carteira" pelas medidas de
austeridade, já "quase não [tendo] dinheiro para comer".
-Ao CM, Ricardo Gonçalves queixou-se de que, além de uns
miseráveis 3700 euros de vencimento, apenas recebe mais "60
euros de ajudas de custos por dia" para "viagens, alojamento e
comer fora".
-Compreende-se o seu desalento. O deputado Gonçalves deixou
uma próspera carreira de professor para, respondendo ao
chamamento cívico, passar a deputar na AR, e agora tem que se
governar com 3700 euros por mês mais 60 euros por dia
para "viagens, alojamento e comer fora".
-Não surpreende que Teixeira dos Santos ande a "dormir mal"
e que Sócrates tenha, como confessou na AR, "apertos de coração".
-Deputados esfomeados é coisa horrível de ver (dir-se-á que
Ricardo Gonçalves não representa a deputação, mas o facto de
Maria José Nogueira Pinto lhe haver em tempos chamado
"palhaço" confere-lhe desde logo ampla representatividade).
-Justifica-se que, no próximo PEC, o Governo poupe um pouco
mais no subsídio de desemprego e no Rendimento Social de
Inserção. Ou nas pensões, cujo valor médio já anda pelos
397,17 euros, o que faz dos pensionistas "de longe os menos
atingidos na carteira".

Com essa redução da despesa poder-se-á servir uma ceia
de Natal condigna na cantina da AR.(Jornal de Notícias)-

Sunday, October 03, 2010

Ensino de Matemática no You Tube ( em inglês )



Chama-se Salman Khan e vive no Silicon Valley, California. Tem 33 anos. Criou uma escola virtual de Matemática, Ciências e Finanças a que deu o nome de Khan Academy. Já criou 1200 lições que colocou no You Tube. Tem mais de 100 mil visitas por mês e não cobra nada pelos conteúdos.
Surpreende a simplicidade dos meios usados por Salman Khan para criar as 1200 lições sobre Matemática, Ciências e Finanças: um computador ligado à Internet e uma câmara de filmar. O espaço de trabalho: o quarto.
Fiz agora uma visita ao website Khan Academy: .
O exemplo de Salman Khan mostra o poder da vitalidade e criatividade das pessoas quando o Estado não atrapalha com impostos, legislação e regulamentação excessiva

Friday, October 01, 2010

O ( des)Governo que temos

Um Governo que recorre a mentira e ao embuste como estratégia politica.
Pinto de Sousa diz e desmente-se logo a seguir.Os Portugueses - sobretudo a função publica sempre pronta a votar no PS para manter a "estabilidade" - são enganados pelo Governo e continuam a aceitar este estado de coisas. Até parece que os Portugueses gostam de ser enganados.Depois de 1974 o sistema politico, montando pelo PS, deixou o polvo da corrupção tomar conta do Poder e molda-lo aos seus desígnios.A imensa multidão de tachos que o PS arranja para os seus "Boys" tem levado Portugal para a mediocridade.Pinto de Sousa hoje acaba por ser um mero amanuense dos grandes poderes financeiros e dos interesses da Maçonaria Internacional.Sem crescimento económico, o que o Governo quer é grandes obras publicas, que garantem as prebendas dos comissários do Poder Instituído.
Criar empresas para exportar o Governo não faz.O que interessa são grandes obras: Auto-Estradas; Hospitais e as parcerias publico-privadas; TGV, Aeroporto.
Estas obras e que dão grandes lucros nas áreas da corrupção e do trafico de influencias e financiamento partidário.
Mas criação de FBCP - Formação Bruta de Capital Fixo - ou seja investimento produtivo, exportável, não há.Diminui pois a produção e determina o empobrecimento de Portugal.
No sector agrícola nada se produz.Parasitarismo social, sacos para encher de subsídios para não se produzir.A proposta de orçamento anunciada na quarta feira é a miséria para Portugal.O FMI virá.Portugal não descola, enredado em incompetência e medidas avulsas.
O Governo não anunciou a extinção de um único Instituto Publico, de uma única Empresa Publica, a extinção de uma única fundarão.O Governo de José Sousa não governa , faz o que os grandes poderes internacionais lhe mandam, para sobreviver, para tentar manter os tachos da rapaziada que mama na porca chamada Povo Portugueses.Uma miséria, cada vez anunciada com mais força turbulência social, revolução, miséria.

Wednesday, September 29, 2010

Pinto de Sousa e os impostos



Vale a pena recordar, e constatar as relações dificeis deste cavalheiro com a verdade

Tuesday, September 28, 2010

Padrões e Jogos de Estratégia... A Matemática e o Xadrez



A identificação de padrões e a utilização de jogos de estratégia, nas aulas de matemática, ao nível do currículo do ensino básico ,são recursos facilitadores da aprendizagem . A procura e construção de padrões numéricos e geométricos pode ser considerada uma estratégia adequada quer para a resolução de problemas quer ainda no desenvolvimento do pensamento pré-algébrico. Daí o facto dos jogos de estratégia (como , por exemplo, o xadrez) estarem referenciados nos programas curriculares da área da Matemática, por potenciarem o desenvolvimento das capacidades necessárias à construção do conhecimento matemático, nomeadamente no campo da resolução de problemas.Os jogos são referidos sempre aliando-os à resolução de problemas, sendo o jogo de xadrez um bom exemplo de aplicação pois favorece:

1) a capacidade de aceitar e seguir uma regra;

2) o desenvolvimento da memorização;

3) a agilidade do raciocínio;

4) o gosto pelo desafio;

5) a construção de estratégias pessoais.

Os jogos de estratégia dão,pois, um bom contributo para o desenvolvimento das capacidades matemáticas, aliando o raciocínio, a estratégia e o pensamento reflexivo ao gosto pelo desafio e pelo acto de competir. O gosto dos alunos por jogar e a emotividade criada à volta do jogo devem ser aproveitadas pelos professores para optimizar as aprendizagens.E o xadrez é um jogo que propicia a aprendizagem da matemática, nomeadamente no que se refere às estratégias e conjecturas que se arranjam, no aumento da capacidade de memorização, concentração e raciocínio e na capacidade de identificar padrões.Quem joga xadrez desenvolve maior pensamento crítico, auto-confiança, auto-estima, concentração e a capacidade de resolver problemas. Jogar xadrez implica o uso do pensamento lógico, promovendo-o e desenvolvendo-o. Citando o professor de xadrez Jan Brandt : " o jogo de xadrez é, provavelmente, o melhor jogo para desenvolver o pensamento lógico". Os bons jogadores de xadrez são, em muitos casos, bons na matemática ou em situações que envolvam a resolução de problemas. O contrário pode não ser verdade, pois nem sempre os bons alunos em matemática, são bons jogadores de xadrez.

Saturday, September 25, 2010

Alunos que entraram para a Faculdade sem concluir o Liceu

De acordo com o jornal Expresso de hoje, foram mais de cinco centenas os alunos que ingressaram no Ensino Superior sem terem concluído devidamente o ensino secundário. Pérola da Educação de Pinto de Sousa para a Nação, esta brilhante iniciativa é, injustamente, classificada pelo mesmo jornal como uma “auto-estrada de acesso à universidade” e que os ditos mais de 500 formandos “beneficiaram de regras mais fáceis para entrar no Ensino Superior”, tendo ainda o número de utilizadores desta modalidade de ingresso na faculdade aumentado qualquer coisa como 50 (cinquenta!!!) vezes em 2 (dois) anos!!! O jornal levanta ainda a possibilidade de se estarem a criar situações de injustiça, nomeadamente pelo facto de os “outros” alunos “serem obrigados a fazer todas as disciplinas do secundário e a prestar provas em cada uma delas”.A bem da verdade e da justiça, nomeadamente ao inegável mérito das “Novas Oportunidades”, apenas uma breve sugestão de correcção às jornalistas que escreveram o texto: os alunos utilizaram as SCUT, isto é, auto-estradas sem custos para o utilizador, que não só chega (muito) mais depressa que os outros, como ainda sai (muito) mais barato (é só fazer as contas, como diria em tempos Guterres)!



O eterno problema da Verdade

Teremos ouvido bem?... Pedro Passos Coelho recusa-se a reunir com o senhor primeiro-ministro, a não ser na presença de testemunhas?!... (Ouvir o prodígio aqui.) Quererá isto dizer que o presidente do PSD expressa publicamente dúvidas sobre o carácter de Pinto de Sousa?Será que, afinal... há, realmente, problemas com o carácter da personagem?...

Thursday, September 23, 2010

Blog da Biblioteca da Escola Eugénio de Castro

Neste ano lectivo estou na equipa do blog da Biblioteca da Ecola Eugénio de Castro

Wednesday, September 22, 2010

Salto á Vara



Noticia a imprensa que Armando "Vara é o novo presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa África", o que não surpreende, se tivermos presente que, nos tempos que correm, o mestre tem um invejável currículo: é "acusado de vários crimes em Portugal, nomeadamente tráfico de influência e dolo", é amigo do 'chefe máximo', Pinto de Sousa, tem a escola da Universidade Independente, não sabe escrever e gosta de robalos...

Tuesday, September 21, 2010

A realidade dura das Finanças Públicas

É favor ir ler a Síntese da Execução Orçamental para perceber que num mês decisivo para a economia portuguesa se chega à conclusão que a despesa aumentou 5,1% quando só poderia aumentar 1,3%. Temos agora um défice do Estado de 9,190 milhões de Euros e que equivale a 2 aeroportos.

No entanto a julgar pelo optimismo da assessoria governamental não se passa nada, parece-me é que mais uns dias disto e depois venham cá dizer que somos todos uns exagerados quando o FMI entrar por aqui dentro com palavras duras e pouca paciência para mitómanos.
O primeiro ministro , Pinto de Sousa, continua a viver num país virtual, longe da realidade económica.

Sunday, September 19, 2010

Politicos com falta de Ética

( hiperligação do blog de Paulo Guinote)
Isto, ao contrário do que alguns afirmam, não é uma consequência de uma política ou ideologia de esquerda ou direita. É apenas uma consequência de uma política sem vergonha, da qual está ausente qualquer ideologia no sentido nobre do termo, seja qual for a sua filiação. Isto é, aliás, a negação de qualquer ideologia que se preze.
Da memória que tenho da história de Portugal, não me lembro de sermos governados por políticos tão sem-vergonha. Nem o Salazar era tão ordinário...
Autênticos indivíduos a querer fazer-se passar por aquilo que não são. Indivíduos que alteram as leis da república para safar da justiça e da prisão os seus amigos pedófilos.
Desavergonhados que colocam à cabeça da justiça amigos que os hão-de encobrir quando se virem em apuros. Ou amigas a dirigir serviços de investigação enquanto fazem uma perninha nas campanhas eleitorais de afamados súcias.
A oferta de habilitações literárias nos CNO está para a Educação como a compra de licenciatura num domingo, utilizando o poder, os serviços e os meios do Estado, esteve para a Justiça.

Friday, September 17, 2010

Curiosidades sobre o TGV

Relembremos que em 2005 Campos e Cunha se demitiu do governo pela sua oposição às obras faraónicas a que o executivo se propunha, em particular o TGV. Este delírio partia do pressuposto absurdo que Portugal estava na periferia, como se a Europa fosse o centro do mundo (uma ideia com um século de atraso), quando o próprio TGV nunca nos ligaria sequer a Paris (na prática), quanto mais a Londres ou a Berlim.
Pois muito antes da crise internacional (uma desculpa que hoje serve para tudo, até para a sopa estar fria) já era óbvio que o TGV era um erro colossal, pelo menos para os nossos melhores economistas.
Finalmente o governo acordou:
Governo anula concurso do TGV e terceira travessia do Tejo

Será que a anulação do concurso foi por causa da crise económica ou porque quem ganhou o concurso não foi o consórcio do amigo Jorge Coelho? acho que é mais por causa disso....
Como curiosidade,a Soares da Costa está no consórcio Elos que ganhou a obra de ligação do TGV no troço Poceirão-Caia. Como está esse processo?Os trabalhos estão a decorrer de acordo com o cronograma contratual estabelecido. Curiosamente, este negócio foi lançado num sábado. Porque não é anulado este contrato?
Vamos ver qual o lugar internacional de relevo que está reservado para este supra sumo da gestão de nome José S. Pinto de Sousa. Aguardemos...

Tuesday, September 14, 2010

Friday, September 10, 2010

Como é gasto o dinheiro do orçamento do Ministério da Educação

Há pouco tempo surgiu na comunicação social que se estava a gastar mais 30 % no Ministério da Educação devido ao aumento das horas extraordinárias pagas aos professores; não tenho conhecimento de que os professores recebam mais em horas extraordinárias, curiosamente existem menos professores devido à baixa da natalidade e encerramento de muitas escolas do 1º ciclo. Onde se está a gastar o dinheiro?
O "Monstro" foi engordado recentemente desta forma:
25 milhões na vigilância das escolas CCTV e 50 milhões nos MG2. Somados são 75 milhões de euros que aumentam "O Monstro".
Aos 75 milhões de despesa inútil - vigilância electrónica à entrada das escolas e distribuição dos portáteis Magalhães2 pelas crianças de 5, 6 e 7 anos de idade - há que acrescentar os 59,9 milhões de euros anunciados hoje para reforço do programa de modernização das escolas secundárias a cargo da Parque Escolar.
Começa a ser assustador ver a forma como o primeiro-ministro lança dívida pública para cima dos problemas.
Concluíndo o dinheiro está a ser gasto em Videovigilância, Magalhães, Quadros Interactivos, na empresa Parque Escolar e em propaganda ( o primeiro ministro está a fazer inaugurações diariamente).Para o primeiro ministro é mais importante ter um Magalhães do que aprender a ler, escrever e contar.

Monday, September 06, 2010

A nossa Constituição: o que está escrito e o que não se cumpre

O Público de ontem ( domingo) deu destaque na 1ª Página a uma reportagem cujo tema é “Quanto custa educar um filho?”. Não se percebe de que estão a falar. A Constituição diz que cabe ao Estado estabelecer progressivamente a gratuitidade de todos os graus de ensino e a criação de uma rede de estabelecimentos públicos de ensino que cubra as necessidades de toda a população. Educar um filho é, 35 anos após a gloriosa revolução de Abril, totalmente gratuito.
Andam a propagar a mentira de que o futebolista José Torres terá tido dificuldades financeiras no fim da vida, agravados pelo facto de sofrer de Alzheimer. Não pode ser verdade porque a Constituição portuguesa garante que o direito à protecção da saúde é realizado através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencialmente gratuito.
As pessoas continuam a pensar de forma individualista e burguesa procurando dar aos filhos uma educação elitista e desejando para os velhos autonomia financeira para lidar com a adversidade. Esta é uma forma de pensar ultrapassada. O Estado está aí para assegurar a saúde e a educação e ninguém precisa de ter ambições egoístas nessa matéria.

Intrusos ao pequeno almoço

Todos os dias de manhã, ao pequeno almoço, recorde que os socialistas violaram a sua privacidade e vigiam a sua mesa. Desde meados de Agosto, segundo determinação deste governo, o seu pão tem o sal que os socialistas entendem.
Um pobre pateta pousando como jornalista elogiou a medida num noticiário televisivo da data, dizendo que Portugal é um dos poucos países ocidentais que dispõem de «tal legislação». Não lhe ocorreu que uma das razões por que não «dispõem» é que um dos atributos dos países civilizados é serem meticulosos na defesa da liberdade.

Uma Verdade Terrível


«Na Assembleia da República, o Partido Socialista modificou a legislação e fez tudo para defender os seus homens e a prova é esmagadora: penso que Paulo Pedroso devia ter ido a julgamento e mais penso que Ferro Rodrigues e Jaime Gama deviam ter exigido ser julgados porque só a prescrição dos factos que lhes foram imputados é que permitiu que não o fossem»


Uma verdade terrível que é bem o espelho do (E)estado em que nos encontrámos. E o P.S.D. e o C.D.S/P.P e o PCP e o BE nunca denunciaram a tramóia montada pelos socialistas. Alguns até lhe deram cobertura.


Nem o Presidente da República defendeu o Estado de Direito como era sua obrigação.


Vítima que condena Cruz acusou Pedroso
Se não temos políticos - nem no governo nem na oposição - que defendam o Estado de Direito, antes pelo contrário, enlameiam o Estado e o Direito, terá de ser mais uma vez o POVO e a sociedade civil a limpar a lama.

Thursday, September 02, 2010

Prioridades do Governo


O desemprego pode rondar os 11%, a economia pode continuar a vegetar, a despesa pública pode estar descontrolada, que, para o Governo, o que está a dar é o simplex transexual. Estamos entregues à bicharada...

Ordem para gastar: Governo autoriza endividamento de empresas públicas

Governo já autorizou excepções na Edia, Águas de Portugal. Na Estradas de Portugal a dívida deve disparar mais de 30% este ano. O PEC fixava um tecto anual de 7 %.
O tecto de 7% imposto este ano pelo Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) para o aumento do endividamento do sector empresarial do Estado vai ser ultrapassado por várias empresas.
É o governo que está a autorizar excepções a estes tectos, através de despachos. Águas de Portugal, Estradas de Portugal e Edia (Empresa de Desenvolvimento das Infra-estruturas do Alqueva) são três casos em que o endividamento vai subir para além dos 7%. Mas haverá mais.
A Estradas de Portugal (EP) deverá aumentar a dívida em mais de 30%, o correspondente a cerca de 500 milhões de euros adicionais. A empresa não quis esclarecer se já tinha sido autorizada a ultrapassar o tecto dos 7%, mas o presidente da EP, Almerindo Marques disse publicamente que o nível da dívida deve superar ligeiramente os dois mil milhões de euros no final do ano, contra cerca de 1500 milhões de euros em 2009.
Só o financiamento de 150 milhões de euros obtido junto do Deutsche Bank já ultrapassava o limite do PEC e Almerindo Marques disse que aguardava luz verde para mais duas operações. Mais que os investimentos, são os pagamentos às concessionárias Scut (auto-estradas sem custos para os utilizadores) que pressionam a tesouraria da EP.
No final de 2009, a dívida bancária das empresas não financeiras atingiu os 31 mil milhões de euros. A meta do PEC é controlar o crescimento dessas dívidas, impondo tectos mais apertados nos próximos anos, para garantir um crescimento anual global não superior a 5%.

Comentário: Quer dizer, os únicos que não podem subir o endividamente somos nós! Os outros, governo e empresas públicas, é um ver se te avias! Sabem que quanto maior á a despesa, maior é a corrupção!...

Mais dinheiro para o Estado ( centralista)

"O Governo negociou com Bruxelas a possibilidade de investir fundos do Norte, Centro e Alentejo na modernização da máquina do Estado lisboeta, mas a autorização está a ser levada ao extremo: a larga maioria do dinheiro não sai da capital. O resto do país pouco recebe.A Administração Pública Central (Governo ou institutos públicos, por exemplo) vai receber 177,7 milhões de euros de fundos europeus para financiar a sua modernização. O dinheiro foi dado por Bruxelas às regiões mais pobres (Norte, Centro e Alentejo), mas é Lisboa quem mais beneficia, ao abrigo de uma excepção à regra negociada entre o Governo e a União Europeia, conhecido como o efeito "spill-over", ou efeito difusor (ver explicação ao lado)."
Pode continuar a ler a VERGONHA aqui.

Tuesday, August 31, 2010

O estado da Justiça Portuguesa- Processo Casa Pia

( texto retirado do " Diário Económico" )

Oito anos volvidos sobre a revelação dos abusos sexuais na Casa Pia, vamos conhecer a sentença esta semana. Qualquer que seja o deve e o haver entre condenações e absolvições, o balanço não pode deixar de ser negativo. Seis anos de julgamento, 460 sessões, 2043 requerimentos, 1933 despachos, 800 testemunhas, 300 volumes, sem falar nos recursos que vão fazer arrastar ainda mais o processo, e nos pedidos de nulidade que podem fazer regressar tudo à casa da partida.As semelhanças deste “monstro” jurídico com a parábola kafkiana do Processo são evidentes. Uma Justiça cada vez mais desumanizada e enredada numa lenta e pesada teia burocrática, que conduz à sua própria negação. Onde os aspectos formais se tornam mais importantes que o apuramento da verdade.Até há pouco tempo acreditava-se que a Justiça era lenta mas funcionava. Agora, com a mediatização dos processos Casa Pia, Freeport, entre outros, generaliza-se uma ideia de fragilidade e de ineficácia. Um sistema que é forte com os fracos, mas fraco com os ricos e poderosos.A situação é de tal modo grave que já não bastam reformas legislativas. Não se tem feito, aliás, outra coisa nos últimos anos: sucessivas alterações legais com resultados medíocres. Se não concordam, leiam as conclusões dos últimos relatórios do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa, ou o recente estudo da associação europeia MEDEL.O nosso sistema é formalista e burocrático, o que atrai mais complexidade e morosidade. É intolerável que haja processos que se arrastam durante décadas. Por detrás desses quilómetros de papel estão pessoas concretas, com problemas reais que carecem de uma solução rápida.A palavra-chave, por isso, tem de ser simplificar. O que implica, sejamos claros, reduzir certas garantias processuais em benefício da eficácia. Se nada fizermos o sistema corre o risco de perder legitimidade e apodrecer.A introdução de um regime de “sentença simplificada” seria um passo positivo. Tal como a eliminação de algumas exigências probatórias. Não faz sentido, por exemplo, que a prova produzida perante um magistrado na fase de Inquérito (ou Instrução), com todas as garantias processuais, tenha de ser repetida em julgamento. Tal como não faz o excesso de testemunhas em certos processos.Que me perdoem os meus colegas advogados, mas esta simplificação implica aumentar o poder dos magistrados, com riscos de aumento da discricionariedade decisória. E libertá-los das tarefas administrativas, para se poderem concentrar na actividade jurisdicional. Apostar na oralidade, desmaterialização e nos sistemas de acesso à informação.É urgente uma revolução do nosso paradigma processual, pensado para um outro tempo. Trazer a justiça portuguesa para a modernidade, aproximando-a do tempo socialmente justo, mais próximo das expectativas dos cidadãos e das empresas.
[Diário Económico]

Monday, August 30, 2010

Fúria legislativa

( recebido por correio electrónico)

Esclarecedor...
Atenção:- Tem força de Lei.

O art. 1º do Dec.-Lei 35/2010 de 15 de Abril começa da seguinte forma:

Os artigos 143.º e 144.º do Código do Processo Civil aprovado pelo Decreto -Lei n.º 44 129, de 28 de Dezembro de 1961, alterado pelo Decreto -Lei n.º 47 690, de 11 de Maio de 1967, pela Lei n.º 2140, de 14 de Março de 1969, pelo Decreto -Lei n.º 323/70, de 11 de Julho, pela Portaria n.º 439/74, de 10 de Julho, pelos Decretos -Leis n.os 261/75, de 27 de Maio, 165/76, de 1 de Março, 201/76, de 19 de Março, 366/76, de 15 de Maio, 605/76, de 24 de Julho, 738/76, de 16 de Outubro, 368/77, de 3 de Setembro, e 533/77, de 30 de Dezembro, pela Lei n.º 21/78, de 3 de Maio, pelos Decretos -Leis n.os 513 -X/79, de 27 de Dezembro, 207/80, de 1 de Julho, 457/80, de 10 de Outubro, 224/82, de 8 de Junho, e 400/82, de 23 de Setembro, pela Lei n.º 3/83, de 26 de Fevereiro, pelos Decretos -Leis n.os 128/83, de 12 de Março, 242/85, de 9 de Julho, 381 -A/85, de 28 de Setembro, e 177/86, de 2 de Julho, pela Lei n.º 31/86, de 29 de Agosto, pelos Decretos -Leis n.os 92/88, de 17 de Março, 321 -B/90, de 15 de Outubro, 211/91, de 14 de Junho, 132/93, de 23 de Abril, 227/94, de 8 de Setembro, 39/95, de 15 de Fevereiro, 329 -A/95, de 12 de Dezembro, pela Lei n.º 6/96, de 29 de Fevereiro, pelos Decretos -Leis n.os 180/96, de 25 de Setembro, 125/98, de 12 de Maio, 269/98, de 1 de Setembro, e 315/98, de 20 de Outubro, pela Lei n.º 3/99, de 13 de Janeiro, pelos Decretos -Leis n.os 375 -A/99, de 20 de Setembro, e 183/2000, de 10 de Agosto, pela Lei n.º 30 -D/2000, de 20 de Dezembro, pelos Decretos -Leis n.os 272/2001, de 13 de Outubro, e 323/2001, de 17 de Dezembro, pela Lei n.º 13/2002, de 19 de Fevereiro, e pelos Decretos--Leis n.os 38/2003, de 8 de Março, 199/2003, de 10 de Setembro, 324/2003, de 27 de Dezembro, e 53/2004, de 18 de Março, pela Leis n.º 6/2006, de 27 de Fevereiro, pelo Decreto -Lei n.º 76 -A/2006, de 29 de Março, pelas Leis n.º 14/2006, de 26 de Abril e 53 -A/2006, de 29 de Dezembro, pelos Decretos -Leis n.os 8/2007, de 17 de Janeiro, 303/2007, de 24 de Agosto, 34/2008, de 26 de Fevereiro, 116/2008, de 4 de Julho, pelas Leis n.os 52/2008, de 28 de Agosto, e 61/2008, de 31 de Outubro, pelo Decreto -Lei n.º 226/2008, de 20 de Novembro, e pela Lei n.º 29/2009, de 29 de Junho, passam a ter a seguinte redacção: ........................
Pode ser confirmado no site Diário da República.

Se alguém procura as causas do estado do País, talvez encontre parte delas na fúria legislativa que se apoderou do nosso Estado.

Saturday, August 28, 2010

Lucros de empresas monopolistas , com apoio do governo

Temos de dar os parabéns a estes bem sucedidos gestores de empresas em regime – real - de monopólio, cobertas pelos governos que trataram de as privatizar para dar maior transparência ao mercado, enchê-las de confrades, familiares e amigos, entregando a privados o património de todos nós que gera lucro, e continuando os trolhas a pagar os prejuízos das restantes. Os Amorins deste país certamente que ficam imensamente reconhecidos.
na galp, empresa privada monopolista da refinação e distribuição dos pitróis, não se ficou por menos e apenas no 1º semestre de 2010, os lucros foram superiores em 91% aos do período homólogo de 2009.
compreende-se porque é que os trolhas pagam os combustíveis mais caros da europa, ou 85 € por uma garrafa de gás.
não há encómios que façam justiça aos tachistas da alta autoridade para a concorrência e muito menos para estas administrações que os partidos do tango vão promovendo. neste entretanto, os trolhas vão ficando cada vez mais, de tanga. podem e devem mesmo continuar a votar nestas quadrilhas.

Trintona traída- um texto brilhante de Luis Costa

Trinta e seis anos após o seu nascimento, já ia sendo tempo de a nossa Democracia, ainda que provinciana, dar mostras de plena maturidade. E tenho a certeza que tal já teria acontecido, se ela não escolhesse tão mal os seus companheiros: refiro-me aos políticos, como é evidente. Tal como os amantes marialvas, eles usam-na para os seus interesses e apetites pessoais; eles servem-se dela e não a servem; eles não a amam e até nem se importam de a prostituir. O povo, esse…
José Sócrates levou o Partido Socialista a duas vitórias consecutivas de uma forma que eu — analfabeto funcional em questões de política politiqueira — considero ilegítima: na primeira eleição, prometeu mundos e cavou fundos; na segunda, ocultou os fundos que tinha cavado na primeira. E a Democracia — a nossa trintoninha —, foi na onda, e continua a ir, crente nas descaradas desculpas do seu amante incorrigível. E a união de facto vai-se mantendo — apesar dos cada vez mais frequentes episódios de violência doméstica — até que um dia ela caia da cama e acorde de vez.
Não sei como é que um político se sente legitimado para governar, quando é eleito para fazer A e depois descobre — ou faz que descobre — que, afinal, tem de fazer o contrário de A: “Desculpa lá, minha querida, mas o enxoval do teu papá não é o que parecia! Vais ter de vender os anéis e as gargantilhas e apanhar de vez em quando!”. O voto, afinal, serviu para quê?
Não sei como é que um político se sente legitimado para governar, quando é eleito na base de uma dívida X e depois — ele mesmo, himself — descobre (ou faz que descobre) que a mesma é 3X: “Desculpa lá estragar-te as núpcias, minha querida, mas, afinal, acabo de descobrir uma data de dívidas que nem por sombras imaginava ter!”. O voto, afinal, serve para quê?
Acredito que, quando a nossa jovem Democracia entrar nos sessenta — sem a cegueira que a libido provoca —, talvez repudie com vigor este tipo de tipos. Quando a nossa democracia (com minúscula, porque o sentido é denotativo) for realmente madura, só abrirá as portas a quem lhe apresentar — em vez de promessas vagas e promessas de pequenas medidas amanuenses, ainda assim com possibilidades semânticas quase literárias —, verdadeiros projectos de desenvolvimento do país, nos quais seja bem evidente o que se pretende fazer no interior para que ele seja repovoado e Portugal possa crescer inteiro e como uma família unida, na qual reine a igualdade, que é, afinal, o verdadeiro amor da sua vida.
Luís Costa

Retirado de
Trintona traída no Blogue DaNação

Thursday, August 26, 2010

PR promulga Estatuto do Aluno

O Presidente da República promulgou o Estatuto do Aluno. O diploma foi aprovado, no dia 22 de Julho, com os votos favoráveis dos deputados do CDS e do PS.
Agora é preciso contar com mais dois meses para que as escolas possam actualizar os regulamentos internos.
A destacar ,entre as medidas:
Fim das provas de recuperação
São reduzidos os prazos dos processos disciplinares
É clarificada a distinção entre faltas justificadas e faltas injustificadas
Com a ultrapassagem do limite de faltas, é desenhado um plano individual de trabalho a realizar em período suplementar ao horário lectivo

Wednesday, August 25, 2010

Noticias das centrais de comunicação para desviar atenções




Vamos procurar aqui:
Uma viúva rica
5 milhões de euros em trânsito
Uma morte sangrenta
A "massa" que todos querem
Um Governo socialista desacreditado, podre...
Um primeiro ministro sem qualquer credibilidade
O escândalo da investigação do freeport a ocupar todas as notícias
Eleições presidênciais
Um político português do PSD ... fiel a Cavaco Silva.

Há mais de quinze dias (logo depois do escândalo que foi o relatório sobre o freeport) que a máquina socialista desvia o olhar do povo da economia, da educação, da justiça e do Pinto de Sousa com a história da velhota rica que mataram no Brasil.

Ver noticia do Correio da Manhã

Tuesday, August 24, 2010

Freeport - O PGR vacilante

Procurador-adjunto nomeado
PGR pede explicações sobre dificuldades, falhas e morosidade do processo Freeport

O procurador-geral da República (PGR), Pinto Monteiro, quer saber quais foram as principais dificuldades na investigação do processo Freeport, os motivos da morosidade e por que razão não foram ouvidas todas as pessoas que podiam ter interesse para o esclarecimento dos factos.
Num despacho com data de 2 de Agosto, Pinto Monteiro nomeou um procurador-geral adjunto para averiguar “todas as anomalias, eventualmente ocorridas na tramitação do inquérito, desde a sua instauração até ao seu encerramento”.
Nesse despacho, enviado hoje à agência Lusa, o PGR pede para que sejam averiguadas “as razões da morosidade e da descontinuidade da investigação, os períodos em que esteve parada, as dificuldades na concretização dos actos processuais e as datas e finalidades da sua prolação”.
Pinto Monteiro pretende também ver esclarecidos “os motivos pelos quais não foram ouvidas todas as pessoas cujas declarações pudessem ter interesse para o esclarecimento dos factos”, nomeadamente o primeiro-ministro, Pinto de Sousa, e o ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira.
O inquérito relativo ao caso Freeport foi encerrado com os procuradores Vítor Magalhães e Paes Faria, responsáveis pelo processo, a colocarem no despacho final 27 perguntas que gostariam de ter feito ao primeiro-ministro, mas que não fizeram alegando falta de tempo.
“As razões por que não foi suscitada, na altura própria, a necessidade de prorrogar o prazo concedido para encerrar o inquérito, designadamente para serem feitas as perguntas que no despacho de encerramento ficaram expressamente indicadas” é outra das questões para as quais o PGR quer resposta.
A abertura deste inquérito baseou-se numa Resolução do Conselho Superior do Ministério Público, de 09 de Fevereiro de 2009, em que ficou decidido apoiar as iniciativas do PGR para o integral esclarecimento de todas as questões de índole processual ou deontológica que o processo Freeport possa suscitar.

Comentário: Se não existisse, este individuo tinha que ser inventado,,, Cada vez, é mais o protector de Pinto de Sousa e vice-versa... Foi um dos artistas principais nesta investigação do processo Freeport, e agora, comporta-se como virgem em lupanar... não fez nada, nada sabe e tem as mãos limpas ... Porque é que não reabre o pocesso Freeport, mais que não seja, para ouvir Pinto de Sousa?...

Bispo de Lamego critica fecho de escolas


Lamego é o concelho que mais escolas rurais encerrou ( vinte e uma escolas ). O Bispo de Lamego juntou ontem a sua voz aos críticos do encerramento das escolas de pequena dimensão:
O bispo de Lamego, D. Jacinto Botelho, alertou para as implicações familiares e sociais do encerramento de escolas primárias. Só no concelho de Lamego, vão fechar 21 estabelecimentos. "Estamos a retirar das nossas populações, já tão carenciadas e esquecidas, um meio que ainda poderia ser um agente de atracção, pelo que o encerramento das escolas é um factor que no futuro contribuirá, sem dúvida, para uma maior desertificação", sublinhou D. Jacinto Botelho, defendendo a manutenção de escolas com mais de dez alunos.
Fonte: CM de 24/8/2010

Friday, August 20, 2010

Mais computadores para crianças do 1º ciclo

A ministra da educação divulgou, ontem, qiunta feira, à saída da reunião do Conselho de Ministros que está tudo preparado para distribuir mais 250 mil computadores pelas crianças do 1º e do 2º anos de escolaridade. A distribuição será feita no início do ano lectivo.
É mais um crime pedagógico e um disparate financeiro. Oferecer computadores a crianças que ainda não sabem ler nem escrever é agravar ou dificultar as condições propícias à aprendizagem da leitura e da escrita. As crianças já passam horas a mais em frente dos televisores, consolas e telemóveis. Não precisam que o Estado desperdice dinheiro com o objectivo de que elas passem ainda mais tempo em frente dos ecrãs.
A distribuição de mais estes 250 mil computadores por crianças de 5, 6 e 7 anos de idade é um contributo para o aumento da obesidade, sedentarismo infantil e diabetes. Pobres crianças estas a quem o Estado tudo faz para afastar do contacto com a natureza, enfiando-as em mega-centros escolares high tech onde têm por companhia computadores, por distracção jogos de vídeo quase sempre pouco inteligentes e por enquadramento realidades virtuais quase sempre embrutecedoras.

Portugal é o 27º melhor do Mundo

Para fundamentar optimismos ou pessimismos e delinear hipóteses de mudar a posição no ranking, transcreve-se o seguinte artigo, que refere que Portugal está muito melhor do que o Burkina Faso e imediatamente atrás da Grécia

.Portugal é o 27.º melhor país do mundo
Diário de Notícias. 19-08-2010. por Susana Salvador

A revista norte-americana 'Newsweek' revelou a sua primeira lista dos melhores países do mundo tendo em conta cinco categorias distintas. No topo está um país nórdico, a Finlândia, havendo ainda outros três nórdicos nas primeiras dez posições."Se nascesse hoje, que país lhe iria proporcionar a melhor oportunidade de viver uma vida saudável, segura, razoavelmente próspera e com capacidade de ascensão?" Foi a esta pergunta que a revista norte-americana Newsweek quis responder no seu primeiro ranking dos melhores países do mundo. A resposta acabou por ser Finlândia, com Portugal a surgir no 27.º posto, logo atrás da Grécia.Num trabalho especial, a revista divulgou o resultado de vários meses de trabalho na análise de cinco categorias específicas: educação, saúde, qualidade de vida, dinamismo económico e ambiente político. A média destes indicadores deu a lista final de 100 países, liderada pela Finlândia e com o Burkina Faso no último lugar."Há verdades que já sabíamos: os melhores países tendem a ser pequenos, ricos, seguros e frios", escreve a revista. Mas uma análise mais específica dos dados (possível no site www.newsweek.com) permite examinar um importante número de tendências, quando se comparam países com populações ou rendimentos semelhantes.Não há dúvida de que os nórdicos dominam nos dez primeiros da lista. Além da Finlândia, em primeiro lugar, surge a Suécia em terceiro, a Noruega em sexto e a Dinamarca em décimo. "Os melhores países do mundo parecem ter isto em comum: evitam a guerra, vivem na escuridão e mantém um estado constante de depressão e produtividade", indicou o escritor Andrei Codrescu, convidado pela revista a analisar este domínio nórdico.No que respeita a Portugal, é nas áreas da saúde e do ambiente político que o país se destaca. Em ambos está no 23.º lugar da lista. O pior desempenho diz respeito ao dinamismo económico, no qual surgimos em 42.º lugar. Os dados, referentes a 2008 e 2009, apontam por exemplo que são necessários seis dias para se começar um novo negócio e dois anos para se resolver uma insolvência. Em relação ao crescimento produtivo, é de 21,8 dólares por pessoa - o de Singapura, país que ocupa a primeira posição neste indicador, é de 50,3.Além deste ranking, a revista escolheu também os dez líderes mundiais que, diz, se podem admirar. Entre eles está o brasileiro Lula da Silva, a chegar ao fim do seu segundo mandato, e o francês Nicolas Sarkozy, "amado no estrangeiro e odiado em casa". A única mulher é a Presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirlead, apelidada de "a construtora". Da lista, curiosamente, não faz parte o americano Barack Obama.Imagem da Net